ETF: Fundos de Índice

Atualizado: Jun 28

Afinal o que é uma ETF?


ETF (Exchange Traded Funds), é um fundo de investimento negociado na Bolsa de Valores como se fosse uma ação. Também conhecido como Fundo de Índice.





As ETFs foram criadas com o objetivo de replicar o mais fielmente possível um índice de mercado. O segredo do seu sucesso deve-se a sua simplicidade e acessibilidade.


Estamos falando de um produto financeiro com um poder de diversificação de carteira incrível, e melhor ainda, com um montante de entrada baixo, além de oferecer vantagens em termo de liquidez, pois sua negociação acontece em tempo real nas Bolsas de Valores.


Também podemos definir um ETF como um fundo mútuo que inclui nos seus ativos um número suficiente capaz de replicar o mais próximo possível o seu padrão de referência.

Gestão dos ETFs

A Gestão dos fundos de índice são totalmente passivas, evitando estratégias de risco, visto que seu principal objetivo é seguir um índice de referência, e não o superar.


Investir em Fundos tradicionais ativos não é uma má ideia, mas saiba que na maioria dos casos os gestores ficam com uma parte dos lucros, nas famosas taxas de performance. Cabe destacar que as ETFs podem buscar os mesmos resultados dos fundos especulativos, de forma diversificada e com menos exposição ao risco.


Aí vem a primeira pergunta: Se uma ETF segue tão de perto ativos que são usados como referência, porque não comprar diretamente esses ativos?


Primeiramente porque é um número muito difícil de se replicar. Por exemplo, se você quiser montar uma carteira com o objetivo de replicar um índice, terá que comprar todas as ações nas quantidades e proporções exatas, sem falar que seria uma operação muito complicada e cara, pois exigiria um capital enorme, além dos possíveis custos de corretagem incorridos.


O segredo do grande sucesso das ETFs se deu por tornar possível aos pequenos investidores serem proprietários de uma grande proporção de ativos em um único fundo, em uma única aquisição.

Vamos a dois exemplos:


Para entender melhor vamos falar do principal índice brasileiro, o IBOVESPA.

O IBOVESPA reúne as empresas mais importantes do mercado de capitais brasileiro, o índice é formado pelas ações mais negociadas na Bolsa.


Ao comprar o ETF BOVA11 você está se tornando sócio das maiores empresas do Brasil, como por exemplo: Vale, Petrobrás, Itaú, Bradesco, Ambev, Magazine Luiza, Banco do Brasil, com apenas uma ordem de compra, menos de R$ 100,00 por ETF. Muito bom, né?


Agora vamos falar do índice S&P500, principal índice da Nasdaq, composta pelas 500 ações mais negociadas na Bolsa de Nova Iorque, como por exemplo: Google, Facebook, Microsoft, Apple, Disney e tantas outras mundialmente conhecidas.


Ao comprar o ETF IVVB11 você se torna sócio de todas essas empresas com apenas uma ordem de compra, menos de R$ 200,00 por ETF. Bom negócio?

Principais ETFs listados na BOVESPA

BOVA11


O BOVA11 (ou ISHARES IBOVESPA), usamos no nosso exemplo, ele está baseado no Ibovespa, o principal índice de ações do mercado brasileiro.


Esse ETF é composto por ações de empresas que correspondem a mais de 80% do volume de negociações da bolsa.


A composição desse índice muda a cada quatro meses, mas o BOVA11 já faz uma atualização periódica.


A administração é feita pelo Citibank, com gestão da BlackRock, a maior gestora de ativos do mundo. A taxa de administração do fundo é de 0,54% ao ano.

BRAX11


O BRAX11 baseia-se no Índice Brasil (IBrX 100). Esse índice mede o retorno de investimento de uma carteira teórica formada pelas 100 ações mais negociadas na B3, considerando tanto a quantidade como o volume financeiro.


Os responsáveis por sua administração e gestão são também o Citibank e a BlackRock.

A taxa de administração do BRAX11 é de 0,20% ao ano.


SMAL11


O SMAL11, é um ETF baseado no índice Small Cap, que registra a média de desempenho das ações de menor capitalização da B3. Ou seja, a carteira é formada por ações de companhias menores, com maior potencial de crescimento.


Também se trata de um ETF do Citibank e da BlackRock, a taxa de administração de 0,69% ao ano.

IVVB11


Também usado no nosso exemplo, ao contrário dos fundos anteriores, que estão baseados em índices nacionais, o IVVB11 (ou ISHARES S&P 500) utiliza como espelho o índice norte-americano S&P 500.


Esse índice engloba as ações das 500 maiores empresas dos Estados Unidos. Seu ETF busca retornos equivalentes à performance do S&P 500 em moeda brasileira.


Fazem parte da composição algumas das maiores companhias do mundo, como Facebook, Amazon, Microsoft, Apple, Google, Netflix, Disney entre outras.


O IVVB11 também é administrado pelo Citibank e gerenciado pela BlackRock. Sua taxa de administração é de 0,24% ao ano.

DIVO11


O DIVO11 é um ETF que espelha o índice IDIV. Esse índice é formado pelas companhias que apresentaram, nos últimos 24 meses, os maiores pagamentos de dividendos na bolsa (dividend yield).


Sua composição se dá principalmente por ações de empresas do setor financeiro, telecomunicações e serviços públicos.


Ao contrário dos fundos de índice citados anteriormente, o DIVO11 é gerido pelo Itaú Unibanco SA e administrado pelo Banco Itaucard SA.


A taxa de administração desse ETF é de 0,50% ao ano.

IMAB11


O IMAB11 é o ETF de renda fixa patrocinado pelo Tesouro Nacional. Ele nasceu de um projeto feito em parceria com o Banco Mundial.


O IMAB11 replica uma carteira de títulos públicos indexados à inflação.


A administração e a gestão ficaram a cargo do Itaú Asset Management. A taxa de administração desse ETF é de 0,25% ao ano.

Tributação


A alíquota para ganhos com ETF é de 15% para as operações comuns e 20% para as operações day-trade, aquelas em que a compra e venda ocorrem no mesmo dia.

Como aplicar em ETF em três passos


  • Primeiro escolha um corretora, caso não tenha uma.


  • Segundo, faça uma TED para a sua conta na corretora.


  • Terceiro, digite o código da sua ETF no PIT de negociações, e compre.


Boa sorte! =)

6 visualizações

©2020 por PR7 Investidor.