Efeito Manada: O que esse termo significa no Mercado Financeiro?

Atualizado: Jun 23


Na natureza, é o termo utilizado para referir-se a vários animais da mesma espécie que costumam se locomover juntos. No mercado de ações, o “efeito manada” descreve um movimento conjunto de vários investidores em determinada direção, sem fundamentos aparentes ou lógicos.



Os investidores acabam aderindo a um determinado consenso e partem para a mesma ação, gerando um enorme desequilíbrio na relação oferta e procura, e dependendo da situação, essa movimentação pode até gerar bolhas no mercado, e bolhas são extremamente perigosas.


Bolha financeira é o nome que se dá quando ativos passam a ser negociados extremamente acima do seu real valor, seguido a um movimento de alta abrupta no valor dos ativos.

Esse movimento ocorre quando vários investidores seguindo a manada compram ativos supervalorizados, criando uma bolha, e quando ela estoura, outro efeito manada acontece, só que dessa vez os investidores tentam vender seus ativos ao mesmo tempo, e com a ausência de compradores os preços desabam, deixando grandes prejuízos para os que entraram na bolha especulativa.


O Efeito Manada é motivado pelo medo de perder, isso incentiva os investidores a comprar na alta e a vender na baixa, movimento que contraria a lógica de investimentos.


A B3 criou um recurso especificamente para evitar um crash (uma quebra) da bolsa de valores, motivado por efeitos manada. O Circuit Breaker funciona como uma pausa nas transações quando o efeito manada é detectado, o Circuit Breaker teve grande destaque na mídia na atual crise do COVID-19. De forma mais técnica, o recurso é acionado quando o Ibovespa cai 10%, em comparação com o dia útil anterior.


Como surge o Efeito Manada?


Dentre os principais elementos responsáveis pelo surgimento do comportamento manada nos investimentos, destacam-se cinco:


1 – A necessidade de se sentir incluído, de fazer o que o outro está fazendo.

2 – A tendência de achar que se a maioria está fazendo, é o correto a fazer.

3 – Sentimento compartilhado. “Se eu perder não vou perder sozinho".

4 – Medo de não enriquecer quando os demais estão enriquecendo.

5 – Se todo mundo tá saindo, deu ruim!


Você não está certo ou errado porque a maioria não concorda com você. Você está certo porque sua coleta de dados e análise estão certas” - Benjamin Graham.


Conclusão:


Toda tomada de decisão nos investimentos deve ser feita baseada em dados sólidos, analisando o cenário econômico, alocando cada investimento de acordo com as possibilidades de mudança no cenário. Analisar histórico de preços para identificar possíveis tendências de alta ou baixa, entendendo que o mercado de renda variável é volátil, ou seja, sobe e desce. É preciso trabalhar com diversificação, protegendo seus ativos contra flutuações negativas em determinados setores, e antes de seguir uma tendência, analisar com cautela se não se trata do famoso efeito manada.



19 visualizações

©2020 por PR7 Investidor.